Consepe aprova criação de especializações, mestrado e graduação

A criação de oito cursos de especialização, de um mestrado acadêmico e de um curso de graduação. Esse foi o principal resultado da 12ª reunião ordinária do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Pará (UFPA), realizada na manhã desta quinta-feira, 12, no auditório da Secretaria Geral (Sege). A sessão foi presidida pelo vice-reitor Horácio Schneider.

A partir de 2014, a UFPA passa a contar com os seguintes cursos de especialização: “Gestão Ambiental”, ofertado pelo Núcleo de Meio Ambiente (Numa); “Ensino de Física: uma Abordagem Experimental com uso de Material Alternativo”, pelo Instituto de Ciências Exatas e Naturais (Icen); “Estudos da Linguagem Aplicados à Educação de Surdos”, pelo Instituto de Letras e Comunicação (ILC); “Odontopediatria”, pelo Instituto de Ciências da Saúde (ICS); “Engenharia de Segurança do Trabalho”, pelo Instituto de Tecnologia (Itec); “Escola que Protege” e “Especialização Educação de Jovens e Adultos para a Juventude”, ambos ofertados pelo Instituto de Ciências da Educação (Iced); e “Ensino de Matemática nos Anos Iniciais em Escolas Ribeirinhas”, pelo Instituto de Educação Matemática e Científica (Iemci).

Mestrado Acadêmico – Os conselheiros aprovaram, ainda, a criação do Programa de Pós-Graduação em Saúde, Ambiente e Sociedade na Amazônia, vinculado ao Instituto de Ciências da Saúde (ICS) – embora algumas atividades devam ser desenvolvidas, também, no Instituto de Ciências Biológicas (ICB) e no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Serão ofertadas 15 vagas, cinco das quais serão destinadas para Ações Afirmativas, pessoas com necessidades especiais e servidores técnico-administrativos da UFPA. A área de concentração do programa é saúde coletiva; já as linhas de pesquisa são “Socioantropologia Política, Planejamento e Gestão de Saúde na Amazônia” e “Epidemiologia das Doenças Infeccionas Não Crônicas na Amazônia”.

O programa de pós-graduação atende a profissionais das áreas de saúde e de ciências humanas. No total, o corpo docente é formado por 15 professores – oito do ICS, cinco do ICB, um do IFCH e um da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). Para obter o título de mestre, os estudantes deverão cumprir 26 créditos referentes a disciplinas obrigatórias e optativas, além da dissertação.

Graduação – Em janeiro de 2014, haverá vestibular para Engenharia Ferroviária. O material do curso, que é vinculado ao Itec, será disponibilizado em plataforma digital a fim de atender às necessidades educacionais especiais. Outro diferencial tange à metodologia do curso, que terá o foco voltado para a resolução de problemas. Ou seja, em vez da tradicional teoria-prática dos assuntos estudados, os graduandos terão aprendizagem baseada na problematização, por meio da ação-flexão-ação. “Tanto a criação do Mestrado Acadêmico em Saúde Coletiva quanto a oferta do curso de Engenharia Ferroviária, por meio de plataforma digital, mostram o compromisso político da UFPA com a população”, conclui a pró-reitora de Ensino e Graduação, professora Marlene Freitas.

Texto: Thaís Braga – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre Moraes

Publicado em: 12.12.2013 18:00