Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

PT EN ES

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Multicampiartes - Caravana Cultural começa em março, com nova versão e ações mais integradoras
Início do conteúdo da página

Multicampiartes - Caravana Cultural começa em março, com nova versão e ações mais integradoras

  • Publicado: Quarta, 14 de Fevereiro de 2018, 14h41
  • Acessos: 211

MulticampiArtes 1

A partir de março, começa a programação 2018 do Programa Multicampiartes-Caravana Cultural nos municípios paraenses. Este ano, as atividades serão realizadas nos campi de Abaetetuba, Breves, Capanema e Tucuruí. O projeto extensionista ganhou nova versão em 2017, com a integração ao Núcleo de Oficinas da Caravana Cultural, a qual promove a circulação da produção artística realizada na UFPA, por meio da Escola de Teatro e Dança (ETDUFPA), da Escola de Música (EMUFPA) e das demais produções da Faculdade de Artes Visuais.

MulticampiArtes 2“O projeto original de formação em arte, aperfeiçoamento teórico-prático por meio das oficinas, integrado com a Caravana, conseguiu dar uma legitimação coletiva na proposição da cultura extensionista da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), além de dialogarmos com organização da produção artística e cultural desses municípios, por meio dos campi”, afirmou o professor Miguel Santa Brígida, responsável pela Diretoria de Arte, Cultura, Esporte e Lazer (DACEL/Proex).

De acordo com o professor, a perspectiva, este ano, é trabalhar também com as áreas de abrangências dos campi. Em 2017, as ações do Multicampiartes- Caravana Cultural foram organizadas em cinco municípios (Altamira, Bragança, Cametá, Castanhal e Soure), com a oferta de oficinas em teatro, dança, música, fotografia, cinema, grafite, performance,  politicas públicas  de cultura  e apresentação de espetáculos, inclusive incorporando na programação os grupos culturais dos municípios visitados, com uma média de 500 pessoas, entre público e participantes das oficinas.

“É importante sublinharmos o diálogo da produção do conhecimento da Academia indissociável do saber local dessas comunidades, como exercício de circularidade cultural e legitimação coletiva. Por meio de uma ação integrada dos coordenadores dos campi com a cidade, com os produtores culturais, nós conseguimos estabelecer um diálogo muito profícuo, e eu acho que vai ser o disparador da redimensão de 2018, articulando essa discussão com os municípios sobre os planos de cultura”, disse Miguel Santa Brígida.

MulticampiArtes 1Organização dos planos de cultura – Mais do que levar ações de cultura, o novo Multicampiartes - Caravana Cultural tem como propósito promover a troca de saberes entre a Academia e as comunidades, contribuindo para a implementação dos planos municipais de cultura.

A coordenadora de Projetos, Vânia Nogueira, explica que a realização das oficinas em políticas públicas surge exatamente para fortalecer o que vem sendo aplicado entre as trocas de saberes. “Já que se trabalha com a arte, com a cultura dentro do teatro, da música e da dança, você só formar não é o suficiente. É necessário ser reconhecido como política pública cultural e é examente nesse perfil que se vem implementando, via Ministério da Cultura (MinC), e as universidades como parceiras, o sistema nacional de cultura e o plano municipal de cultura.”

As discussões sobre a política de cultura dos municípios contam com a participação de gestores municipais, representantes das comunidades locais, conselheiros de cultura e sociedade em geral.

MulticampiArtes 2Um novo conceito de extensão – A proposta surgiu há cerca de três anos, durante o Fórum de Pró-Reitores de Extensão, realizado em Florianópolis. Segundo o pró-reitor de Extensão da UFPA, Nelson de Souza Junior, os pró-reitores perceberam a necessidade de partirem para uma reconceituação clara da extensão no Brasil.

“Nós temos, hoje, como principal vetor, a ideia de que só há extensão quando nós conseguimos firmar algum tipo de integração, de interação, que chamamos, por enquanto, de dialógica com as sociedades. E nós iremos tocar nessa questão possivelmente no Fórum Nacional, que ocorrerá no segundo semestre de 2018, em Manaus ou em Belém, ou seja, o que nós entendemos, no início do século XXI, como sendo as características centrais da extensão”, pontuou.

Para o pró-reitor, “a nova configuração de Programa de extensão da UFPA é muito mais que simplesmente levar teatro, música, dança e cinema para os municípios. A Universidade vive uma transição de uma prática exitosa, de uma metodologia que reconfigura as ações do Multicampiartes - Caravana Cultural.”

“Não adianta só levar o espetáculo. O diálogo com essas comunidades é o disparador principal dessa dinâmica nova de gestão e aí essa conversa com os municípios, acionando as prefeituras, os grupos artísticos, as comunidades envolvidas, que já tem uma prática estabelecida, marca um novo momento de diálogo com a Universidade”, ressalta Nelson Junior.

Texto: Ericka Pinto – Assessoria de comunicação da UFPA}
Arte e fotos: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página