Ir direto para menu de acessibilidade.

Seletor idioma

PT EN ES

Opções de acessibilidade

Página inicial > Ultimas Notícias > Grupo de Pesquisa em Antropologia Visual da UFPA realiza​ ​I​ ​Festival​ ​do​ ​Filme​ ​Etnográfico​ ​do​ ​Pará
Início do conteúdo da página

Grupo de Pesquisa em Antropologia Visual da UFPA realiza​ ​I​ ​Festival​ ​do​ ​Filme​ ​Etnográfico​ ​do​ ​Pará

  • Publicado: Terça, 10 de Outubro de 2017, 18h58

festival etno

O I Festival do Filme Etnográfico do Pará é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa em Antropologia Visual e da Imagem (VISAGEM) e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará. O objetivo é difundir, fomentar e premiar produções audiovisuais que apresentem qualidade técnica reconhecida nas áreas da Sociologia e da Antropologia, além de promover o diálogo entre produtores e pesquisadores que se interessem pela temática. A programação é gratuita e conta com mostra competitiva, mostras paralelas, oficinas e debates. A abertura do festival, no dia 8 de novembro de 2017, ocorre no Centro Cultural Sesc Boulevard; e as mostras, as oficinas e os debates serão promovidos na Casa das Artes, ao longo dos dias 9, 10 e 11 de novembro.

A mostra competitiva conta com curtas, médias e longas-metragens - A lista completa já está disponível no site do Festival. Foram selecionadas 23 produções nacionais e internacionais, que abordam questões socioculturais contemporâneas sobre pessoas, grupos sociais, processos históricos de temas de interesse antropológico e sociológico. O festival será composto por filmes selecionados por profissionais reconhecidos do meio do audiovisual e das ciências sociais convidados pela comissão organizadora. Na mostra competitiva, serão premiados filmes nas seguintes categorias: melhor curta-metragem, média-metragem, longa-metragem e escolha do júri popular.

Em sua primeira edição, o festival homenageia Vincent Carelli - O cineasta e indigenista fundou, em 1986, o Vídeo nas Aldeias: projeto que apoia as lutas dos povos indígenas para fortalecer suas identidades e seus patrimônios territoriais e culturais por meio de recursos audiovisuais. Desde então, coordenou a formação de gerações de cineastas indígenas e produziu uma série de 17 documentários sobre os métodos e os resultados deste trabalho, os quais têm sido exibidos por emissoras de TV e festivais de cinema em todo o mundo. O premiado documentarista é presença confirmada na abertura do festival, no qual apresentará seu longa mais recente: “Martírio”.

Segundo Alessandro Campos, membro da coordenação geral do evento, “a realização deste festival é um desejo antigo, que começou ainda na organização das Mostras de Filmes Etnográficos do I Encontro de Antropologia Visual da América Amazônica (EAVAAM) de 2014. A ótima repercussão dessas Mostras, e das seguintes, e o apoio de amigos de outras instituições foram decisivos para nos encorajar nesta organização.”

Para Denise Cardoso, coordenadora do Grupo Visagem e também coordenadora geral do festival, “o grande número de filmes inscritos confirma a demanda de produções nesta área e a necessidade de festivais como este, que já existem em Estados como Minas Gerais, Pernambuco e Amazonas, e agora é a vez do Pará. Eventos como este servem, ainda, como importante instrumento de visibilização de diferentes comunidades e culturas, contribuindo, assim, para o combate ao racismo e à discriminação.”

VISAGEM - Grupo de Pesquisas em Antropologia Visual e da Imagem foi constituído no âmbito do Laboratório de Antropologia Arthur Napoleão Figueiredo (LAANF) e no  Programa de Pós- Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará (UFPA). Coordenado pela professora doutora Denise Machado Cardoso, o grupo conta com a participação de alunos da graduação e da pós-graduação, professores, colaboradores externos e convidados. Desde 2014, realiza o Encontro de Antropologia Visual da América Amazônica. Conta, ainda, com a Revista Eletrônica Visagem, trabalhos de pesquisa de estudantes e pesquisadores que utilizam a Antropologia Visual como metodologia.

Acesse o site oficial do Festival.
Acesse aqui Facebook do evento.  

Texto e arte: Divulgação

registrado em:
Fim do conteúdo da página